Alimente-se!

janeiro 17, 2010 às 14:01 | Publicado em Respirativas, Verdade | 1 Comentário

Hoje, assim como em todos os domingos, a Praça da República está repleta de gente feliz, o movimento está intenso; vendedores ambulantes, barraquinhas de comidas típicas, artefatos marajoara, peças feitas pelo carinho e dedicação das mãos de paraenses cheios de esperanças bonitas de se sonhar, lindas de se escrever, boas de realizar… pintores de quadros paisagísticos e caricaturas de todas as espécies de nobres personagens.

Amigos teatralizando emoções com o foco do sol entre as brechas do céu meio-nublado, meio-aberto na confusão de clima, tempo e temperatura que só Belém tem ao mês de janeiro até as águas de março fecharem o verão. Na verdade no decorrer do ano todo. A chuvinha é mesmo uma das características mais marcantes por aqui. Quando as pessoas marcam seus encontros na parte da tarde, logo indagam se antes ou depois da famosa chuva. Que seja! O clima estava e continua muito bom: solzão, sorrisões e até pessoas com roupas engraçadas e pintura no rosto segurando cartazes com os dizeres “Abraço grátis!”, o que me fez abrir os braços e cair num deles.

Foi o que bastou pra eu ganhar mais 100% de vitalidade pro meu dia, vim com o sorrisão todo escancarado caminhando da praça na Avenida Presidente Vargas até a Avenida Bráz de Aguiar para mais um dia de trabalho. E embora não pudesse desacelerar meus passos, continuava vendo todas as pessoas em câmera lenta. Meu andar estava quase como uma dança, desviando para não esbarrar em ninguém. Bem, Belém tem um pouco disso, pela experiência vasta em procissões, as pessoas sabem a hora de encolher o braço para dar passagem, um sinal verde a quem está com pressa.

Palavras não matam

Fome tem muito a ver com tudo isso, pode ser fome de ver uma multidão, fome de ouvir uma canção, fome de sentir um carinho…posso trocar a palavra ‘fome’ pela palavra ‘vontade’… fome nada mais é do que vontade de comer! Comer nada mais é do alimentar… alimentar-se é satisfazer a necessidade de sobrevivência seja ela física, emocional, amorosa, afetiva e muito mais. O ser humano em si é faminto, já nasce faminto e às vezes até morre de fome. Está com fome? Coma! Está com vontade? Faça! Estás vivo(a)! É impossível fazer qualquer coisa com fome. A dor da fome é um rombo no estômago, ou na mente, nos pensamentos e até as vontades ficam confusas quando a vontade de comer ou de satisfazer algo ainda não foi suprida.

Anúncios

1 Comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Mais uma vez aqui, te Parabenizando pelas suas palavras e pelos seus textos maravilhos que tu sabe muito bem que eu adoro!
    Esste texto está maravilhoso, mana!
    Perfeeeeeeeeeeeeeeeeeito 😉


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: